< VOLTAR

A Gravidade da Fibromialgia pode permanecer inalterada para décadas

Publicado 07/02/2018
Notícias

A Gravidade da Fibromialgia pode permanecer inalterada para décadas

Um estudo finlandês revisitou pacientes com Fibromialgia 26 anos após o diagnóstico e revelou que a gravidade dos sintomas permaneceu relativamente inalterada. E os pesquisadores não encontraram deterioração significativa na capacidade funcional autorrelatada pelos pacientes.

O estudo, intitulado Severity of symptoms persists for decades in fibromyalgia - a 26-year follow-up study foi publicado na revista Clinical Rheumatology.

O estudo incluiu os 28 pacientes diagnosticados em 1986 e que preencheram um questionário de acompanhamento cerca de 26 anos depois. A idade média dos pacientes foi de 70 anos. A pesquisa continha 52 questões, incluindo o Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ), uma avaliação autorrelatada da capacidade funcional.

O nível da capacidade funcional não foi diferente entre o diagnóstico e a avalição 26 anos depois.

Três pacientes disseram ter se recuperado da Fibromialgia (11 por cento) e seis (23 por cento) relataram ter tido um ou mais períodos assintomáticos que duraram pelo menos um ano. Uma leve deterioração em todos os sintomas, exceto dor, foi relatada em 25 dos 28 entrevistados. Mas a "pontuação somatória dos sintomas relatados não mudou significativamente".

Piora da insônia foi relatada por 27 dos inquiridos.

Os sintomas mais comuns relatados tanto no início como no final do estudo foram a rigidez da manhã (23 pacientes), a influência das alterações climáticas nos sintomas (23 pacientes), a dor durante os movimentos (18 pacientes), o entorpecimento e o aperto de músculos (15 pacientes) e fadiga geral (13 pacientes).

O uso de medicação para dor por parte dos pacientes aumentou em 61 por cento dos casos, permaneceu o mesmo em 8 por cento e diminuiu em 31 por cento.

O exercício regular foi relatado por 21 dos 24 pacientes (88 por cento) que responderam a uma pergunta sobre o exercício. A equipe destacou que o exercício não parece melhorar os sintomas, mas provavelmente mantém a capacidade funcional no mesmo nível.

Com base no estudo, os pesquisadores observaram que os pacientes com Fibromialgia devem ser informados de que os sintomas podem permanecer, mas provavelmente flutuarão de modo que mesmo períodos longos assintomáticos possam ocorrer.

Os pesquisadores concluíram que, na maioria dos casos, os sintomas de FM persistem por anos e até décadas.

Fonte: ISOMERI, R. et al. Severity of symptoms persists for decades in fibromyalgia-a 26-year follow-up study. Clin Rheumatol, Jan 2018. ISSN 1434-9949. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29318420 >.